Os 17 verdadeiros objectivos da Agenda 2030

Tempo de leitura: 5 minutos

A Agenda 2030 é apresentada de uma forma muito astuta que atrai a empatia natural e a natureza solidária da maioria dos seres humanos.

Reduzir a poluição, diminuir as emissões, utilizar menos combustíveis fósseis, reciclar, todos estes aspetos poderiam obter o apoio das massas. Sendo especialmente atrativo e convincente quando se adotam palavras-chave como “sustentabilidade”, “crescimento inteligente”, “ordenamento global do território” e “grande sociedade”. No entanto, todas estas preocupações ambientais “genuínas” são disfarçadas por uma agenda oculta de imposição de restrições orwellianas a todos os aspetos da sociedade. Esta agenda ambiental disfarçada é resumida por Dean Henderson da seguinte forma: “Sob o disfarce de uma frente chamada “Governos Locais para a Sustentabilidade”, os poluidores elitistas propuseram-se levar esta agenda anti-humana a todos os cantos da Terra. A palavra “sustentabilidade” é o seu Cavalo de Troia. Onde quer que a vejam ser usada, saibam que não tem nada a ver com a proteção da Terra, e tudo a ver com a sua destruição.”

Alguns dos seus objetivos incluem o fim da soberania nacional, a reestruturação da unidade familiar, a atribuição de determinados empregos a determinadas pessoas, a restrição dos movimentos das pessoas, o aumento do papel do Estado na educação dos filhos, a criação de zonas de povoamento humano densamente povoadas. Potenciando a integração de cidades de 15 minutos, este é um conceito de planeamento urbano em que a maior parte das necessidades e serviços diários, como o trabalho, as compras, a educação, os cuidados de saúde e o lazer, podem ser facilmente alcançados a 15 minutos a pé ou de bicicleta a partir de qualquer ponto da cidade.

A Agenda 2030 será acompanhada por um esvaziamento das áreas remotas, uma doutrinação através da educação A abolição da propriedade privada e, no fundo, uma redução maciça da população da Terra. Este paradigma trata-se de um golpe atroz contra a democracia, e simultânea, promoção de puro marxismo.

A Agenda 2030 trata-se de um golpe atroz contra a democracia e em simultâneo, a promoção de puro marxismo. Visa abolir qualquer identidade e soberania de Portugal.

Pretendem remunerar a população com o apregoado rendimento básico universal, desconhecendo quão básico ele pode ser, de forma a criar dependência e obediência do estado. Em paralelo, implementação da moeda digital e extinção do dinheiro vivo para maior controlo das populações.

Visam erradicar o consumo de carne e peixe, substituindo por carne de laboratório, comida geneticamente modificada e codex alimentarius. E simultaneamente, introduzir a ingestão de insetos na nossa dieta.

Irão submeter a população, de forma coerciva, a vacinações experimentais e medicamentos “salvadores” e “inovadores”, sem validação cientifica.

Continuarão com uma lavagem cerebral intensa e doutrinação escolar desde o pré escolar, incutindo pseudociência e ideologia de género nos jovens.

A doutrina prussiana é a ferramenta de eleição.

Pretendem o controlo populacional através do pretexto de “Planeamento Familiar” forçado, à imagem das políticas do PCC, um feminismo radical, da ideologia transexual escondido numa suposta igualdade, como forma de redução da população, que começa com a abolição do conceito de família, o núcleo da base social e educacional. Ainda, fazem a promoção do transhumanismo como novo género e utilizam-no para fenimizar os homens e masculinizar as mulheres.

O aborto é uma arma de destruição familiar e promovem-no politicamente, aumentando cada vez mais o tempo de gestação para formalização do mesmo!
Os fetos passam a ser um negócio e os órgãos passam a ser comercializados.
Timus e fígado são orgãos com mais procura.

 A ideia é privatizar todas as fontes de água, adicionando flúor, metais pesados e nanotecnologia. Ainda, o controlo e monitorização de todos os sistemas de água. Lembrem-se que o CEO da Nestlé não é da opinião que a água é um bem essencial para o ser humano.

Criação de uma rede inteligente com contadores inteligentes, a preços de pico, para monitorização em tempo real. Todos os sistemas elétricos em casas e escritórios. Controlo totalitário de energias e combustíveis.

Numa primeira fase migratória, e de substituição populacional, os migrantes passarão por trabalhos onde as empresas não pagam sequer direitos sociais, como nas TVDEs ou TVDEs eats. Numa segunda fase de empobrecimento das sociedades, será integrado um Rendimento Básico Universal, que surgirá como apoio à pobreza. A substituição de postos de trabalho por robots e o aumento da mão de obra escrava. Introduzindo o Rendimento Básico Universal.

O primeiro objetivo é destruir as indústrias de sector primário, a agricultura e as pescas, com cotas, taxas climáticas e acordos com o Mercosur. Depois passa por reter as grandes cadeias de transformação, como têxteis, maquinaria, cortiça, sapatos, louça e produtos de lã. Diminuindo a exportação e tornando o país menos auto-suficiente. Simultaneamente, aumentar o número de portagens e radares para limitar a nossa livre circulação, sempre com a capa dos “transportes gratuitos” e eliminar os transportes privados com taxas!

Propõe-se à normalização da Agenda Woke, de forma a incentivar a imigração descontrolada, financiamento ao movimento LGBT e deturpar o papel da mulher, através do feminismo. Integrar a implementação de quotas e sistema ESG nas empresas, independentemente das capacidades físicas ou psíquicas e desvalorizar o conhecimento e o mérito.

Tencionam estabelecer confinamentos climáticos e cidades de 15 minutos. Com o abandono das áreas rurais para as cidades inteligentes, com mais restrições ambientais, circunscritas a 4000 metros quadrados e vigilância orwelliana. Forçar a migração descontrolada para destabilizar a sociedade e facilmente implementar medidas de vigilância e de controlo através da capa da “para vossa segurança”.

Destinam-se ao racionamento de bens, austeridade forçada, de modo a combater a “crise energética”. O abate de animais devido à elevada produção de gases de efeito de estufa, resultando em preços elevados e fome.

O plano passa por incrementar o “Cap and Trade”, os impostos de carbono e de calcular a nossa pegada de carbono. Querem retirar-te a mobilidade, já tentaram com impostos como o IUC e agora a União Europeia quer proibir a reparação de veículos com 15 anos.
Querem assim culpar o ser humano por alterações no clima que sempre existiram.

Propõe a privatização dos oceanos e praias, o controlo de toda a frota marítima e dos direitos minerais.Imposição de quotas de pesca e racionamento alimentar, resultando em elevados preços e fome.

Efetuarão um maior controlo dos recursos, um ataque à propriedade privada, restrição de direitos minerais inclusive a água. A criação de áreas negadas ao seu acesso pelo ser humano. “Anti-access/area denial”. Imposição de confinamentos.

Espera-nos o sistema de créditos sociais, através de certificados digitais, euro digital ou outros CBDCs, semelhante ao sistema de créditos chinês, que será usado para forçar a população a obedecer à Nova Ordem Mundial e punir comportamentos indesejados. Nomeadamente o desrespeito por todos os objectivos anteriores.

Visam remover a soberania nacional e promoção do globalismo sob a autoridade legislativa e burocracia Orwelliana das Nações Unidas e da Organização Mundial da Saúde, integrada como solução milagrosa do governo mundial do Fórum Económico Mundial de Klaus Schwab.

Autor

As tuas liberdades, direitos e garantias estão a ser violadas.

O ADN é o único partido que nunca permitirá que mexam nas leis fundamentais.

Junta-te a nós e saberás como ser um resistente às políticas globalistas.