O PARTIDO ADN NÃO ENCONTRA MOTIVOS PARA CELEBRAR O 25 DE ABRIL DE 1974

Tempo de leitura: 2 minutos

COMUNICADO DE IMPRENSA

O PARTIDO ADN NÃO ENCONTRA MOTIVOS PARA CELEBRAR O 25 DE ABRIL DE 1974″

Lisboa, 24 de Abril de 2023 – O Partido ADN não irá estar presente nas celebrações do 25 Abril de 1974, tendo em consideração que, em Portugal, deixou de vigorar um Estado de Direito Democrático e a Liberdade dos portugueses continua a ser reiteradamente atacada pelos nossos governantes e pelos deputados à Assembleia da República, os quais estão mais interessados em servir os interesses supranacionais do que defender a nossa Pátria e os portugueses.

No mesmo sentido, seria uma hipocrisia celebrar esta data quando o país se encontra em ruptura total, uma vez que tanto os valores como os objectivos que, supostamente, emergiram após o final do Estado Novo, nunca foram verdadeiramente implementados ou já não existem, a saber:

  1. A Liberdade, que é o maior bem do Ser Humano, tem sido reiteradamente atacada por quem a devia defender, nomeadamente na Assembleia da República e no Palácio de Belém, com aniquilação sistemática dos Direitos, Liberdades e Garantias fundamentais previstos na Constituição da República Portuguesa.
  2. A Justiça portuguesa é demasiado lenta ou inexistente e os Tribunais apenas servem os amigos do regime, por outro lado, para todos aqueles que não têm meios para recorrer aos Tribunais, existe a garantia de puderem vir a ser mais uma vítima da injustiça que reina em Portugal.
  3. A falta de Segurança nas ruas, nas escolas e mesmo em nossa casa é uma realidade nunca vista, em parte, devido à falta de meios das Forças de Segurança e a leis amigas dos criminosos.
  4. O problema da Habitação é um dos maiores flagelos nacionais, que jamais conseguiremos combater com uma política de salários baixos, que todos os partidos, sem excepção, têm defendido desde a nossa entrada na União Europeia.
  5. O Ensino Público encontra-se degradado, nomeadamente pelo desrespeito pela profissão de professor e pela inclusão de doutrinação ideológica inconstitucional, sem que seja possível vislumbrar um futuro risonho para o mesmo.
  6. O SNS (Serviço Nacional de Saúde) está ligado às máquinas, nomeadamente refém de preconceitos ideológicos, com sérios riscos de não sobreviver devido à incompetência dos sucessivos governos que nos (des)governam desde 1974.

Posto isto, independentemente de repudiarmos o convite feito a Lula da Silva e a presença em Portugal de um criminoso que foi julgado e condenado no seu país, mas que devido a uma mera questão processual foi libertado, temos de ter noção que este cidadão, actualmente, representa em todos os actos oficiais o povo brasileiro e é o Presidente do Brasil.

Assim, rejeitamos ceder ao populismo bacoco e à falta de maturidade política, pelo que, consideramos ser uma hipocrisia política as manifestações convocadas por partidos portugueses contra um Chefe de Estado, sem que este tenha cometido crimes internacionais, e aceitar que criminosos condenados estejam diariamente na Assembleia da República a exercer um mandato de deputado, mas estamos solidários com o povo brasileiro que pretenda exercer o direito a se manifestar contra o seu Presidente da República.

 

Por último, a democracia portuguesa morre a partir do momento em que se convidam para a Casa do Povo, que é a Assembleia da República, Chefes de Estado de outros países e, deliberadamente, se esquecem todos os restantes partidos sem representação parlamentar, que representam, independentemente do número de eleitores que votem neles, cidadãos portugueses.

Pelo acima exposto, o ADN considera que, objetivamente, não existem razões para celebrar o 25 de Abril de 1974 em 2023.

 

As tuas liberdades, direitos e garantias estão a ser violadas.

O ADN é o único partido que nunca permitirá que mexam nas leis fundamentais.

Junta-te a nós e saberás como ser um resistente às políticas globalistas.