Como proteger o seu filho da doutrinação LGBT+ nas escolas

Tempo de leitura: 2 minutos

A poucos dias do arranque de mais um ano lectivo, entre colocação de professores, alunos, vouchers, livros e materiais, entre outros, há algo de muito grave a acontecer nas escolas Portuguesas, e que parece escapar dos Pais desatentos e assoberbados pelas rotinas diárias. Vêem-se crianças chegar à escola em carrinhas de ATL na sua maioria, com roupas bonitas e que às costas carregam a mochila do último herói da moda. Mas, e os manuais? Os conteúdos programáticos? O planeamento das aulas? Terão os Pais conhecimento de que é um DIREITO, senão um dever, pedir à escola o planeamento das aulas para cada uma das disciplinas? Talvez seja esta inércia que faça com que muitos fiquem surpreendidos quando algum Pai ou Mãe se levanta e diz “EU NÃO CONSINTO QUE NAS AULAS EM QUE O MEU FILHO ESTÁ PRESENTE SEJAM ABORDADOS TEMAS QUE VIOLEM A LEI PORTUGUESA”. Aqui sim, aqui é feito um contacto com o encarregado de educação, no sentido de perceber o porquê de haver UM(A) que se levanta e diz NÃO. Totalmente submersos em burocracia de colocações, aceitações, relatórios, planificações e afins, os professores, de forma quase mecânica, limitam-se a abrir os manuais e debitar matéria “porque temos um programa a cumprir”; alienando-se e desvinculando-se quase que na totalidade do motivo que os levou a escolher a profissão: ensinar. Mas, e porque motivo decide aceitar um(a) professor(a) que outros acima de si, possam decidir os conteúdos que desmentem o que a ciência comprova? Quem decide e obriga um(a) professor(a) a levar para dentro da sala de aula, temas que a legislação proíbe? Vejamos o exemplo do tema “IGUALDADE DE GÉNERO” – que nos tempos modernos, parece muito “in” de referenciar em sala de aula. E a Biologia? Onde ficam os cromossomas? Nas portas de WC virados do avesso e com decorações alusivas ao Carnaval? Tirem os Pais deste filme.

Orientem-se os Pais a exigir dos Professores, que este tema abandone, não apenas os manuais, mas as salas de aula. Não existe igualdade de género. Existem dois sexos. As orientações do CADERNO PRESSE para o pré-escolar, conduz educadores da infância a ensinar crianças dos 3 aos 5 anos, que um lápis pode ser vermelho, e riscar a azul. Qual a real intenção destas orientações? Porque não são os Pais informados? Porque parece ser tão difícil o acesso a esta informação? Porque é que os Pais não podem simplesmente entrar na escola sem “aviso e marcação” prévia? O que é que se passa dentro das escolas, das salas de aula, e porque querem doutrinar as nossas crianças?

Há uma forma de conduzir os pais? Como se destapa este véu? É simples. Basta que façam chegar à direcção da escola o PIN PARENTAL, um documento que contém toda a legislação que INFORMA a escola do DIREITO que os Pais têm sobre os filhos, e o seu não consentimento à exposição de temas ideológicos, que tal como o documento indica, é proibido pela Constituição da República Portuguesa. O documento contém toda a legislação necessária para que a escola não tenha outra escolha senão obedecer às orientações dos Pais, enquanto únicos educadores. No caso da Direcção da Escola se recusar a aceitar o documento, basta enviar o mesmo por Correio Registado com aviso de recepção, que servirá como comprovativo da notificação.

PIN PARENTAL: https://familiaconservadora.pt/pin-parental/

As tuas liberdades, direitos e garantias estão a ser violadas.

O ADN é o único partido que nunca permitirá que mexam nas leis fundamentais.

Junta-te a nós e saberás como ser um resistente às políticas globalistas.